Poemas

Amputação

Volta, Ângela!!! / Teu nome jorra dos meus pulmões / E se multiplicam em nitrogênio, / Hélio, gases nobres / E cabeças surdas. / Em alguma praça do Rio: / Saenz Peña, Afonso Pena, Praça Central do Morro Agudo... / Volta - Ângela. / Uma outra espécie de...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


As moças da fábrica de latas

São trezentas moças / Trezentas máquinas / Num galpão escuro / Trezentos movimentos por hora / Trezentas latas / Cinco por minuto / A produção não para / Nem as moças / Nem as máquinas / Nem as latas / São trezentas prestações Trezentos sonhos / Numa...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Companheira

De nossas infâncias pobres e tristes / sobreviveremos. / Eu e a mulher que amo. / E no labirinto da pátria que habitamos / nos perdemos diariamente. / Para nos encontrarmos ao pôr do sol, / quando as luzes se apagam, / os galpões escurecem, / E o dia...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


A voz do poema

O que eu tenho a dizer não está no poema, / Ou talvez passe despercebido na escuridão das entrelinhas: / Operários na escuridão das fábricas / E a gente na escuridão dos guetos. / O que eu tenho a dizer não saiu no...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Retalhos

Se um filho degenerado / Pode voltar a casa paterna, / Pedir perdão e um prato de comida, / Se um marido arrependido / Depois de inúmeros bordeis / Volta à esposa e aos filhos / Deixe-me gritar, Poesia, / Que estou aos pedaços. / Eu quero gritar...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Avenida Brasil

As estrelas não brilham no céu da cidade / Porque o asfalto não é azul!... / Avenida Brasil! / Um bisturi verde-e-amarelo / Rasgando os seios da cidade / Onde a manhã metálica / Se descortina aos nossos olhos / Avenida Brasil. / O azáfama interurbano...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Antes

O que poderia ter dito a tua boca / E não disse / Secou mudo entre teus dentes / Minha boca Meu corpo / Tua boca Teu corpo / As palavras O amor / O que poderia ter... / E não existiu / Bastava que teus lábios se abrissem / Bastava que a poesia...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Mulher

Que perfume exalou do teu corpo! / Que palavra adoçou teu sorriso! / Que leve maciez cobriu teu dorso! / Que harmonia em ti se fez preciso! / Porque deram a ti nome de flor. / Porque em ti se desfez a tristeza. / Por que tanta compaixão e amor...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses



© 2010 José Terra

© 2017 - Luango
Sistemas e serviços para internet.