Mestres

Ferreira Gular

Ferreira Gular

DIGO SIM

Poderia dizer / que a vida é bela, e muito, / e que a revolução caminha com pés de flor / nos campos de meu país, / com pés de borracha nas grandes cidades brasileiras / e que meu coração / é um sol de esperanças entre pulmões...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Luis de Camões

Luis de Camões

OS LUSIADAS I-88

Qual, no corro sanguino, o ledo amante, / Vendo a fermosa dama desejada, / O touro busca, e, pondo-se diante, / Salta, corre, sibila, acena e brada, / Mas o animal atroce, nesse instante, / Com a fronte cornígera inclinada, / Bramando, duro corre e...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Maiakovsk

Maiakovsk

FÉ, ESPERANÇA E AMOR

Um dia, quem sabe, / ela, que também gostava de bichos, / apareça / numa alameda do zoo, / sorridente, / tal como agora está / no retrato sobre a mesa,. / Ela é tão bela, / que, por certo, hão de ressuscitá-la. / Vosso Trigésimo Século / ultrapassará o...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Manuel Bandeira

Manuel Bandeira

TESTAMENTO

O que não tenho e desejo / É que melhor me enriquece. / Tive uns dinheiros __ perdi-os... / Tive amores __ esqueci-os. / Mas no maior desespero / Rezei: ganhei essa prece. / Vi terras da minha terra. / Por outras terras andei. / Mas o que ficou marcado /

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes

ROSÁRIO

E eu que era um menino puro / Não fui perder minha infância / No mangue daquela carne! / Dizia que era morena / Sabendo que era mulata / Dizia que era donzela / Nem isso não era ela / Era uma môça que dava. / Deixava... mesmo no mar / Onde se fazia em...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Olavo Bilac

Olavo Bilac

Língua Portuguesa

Última flor do Lácio, inculta e bela, / És, a um tempo, esplendor e sepultura: / Ouro nativo, que na ganga impura / A bruta mina entre os cascalhos vela... / Amo-te assim, desconhecida e obscura, / Tuba de alto clangor, lira singela, / Que tens o...

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses


Pablo Neruda

Pablo Neruda

VINTE POEMAS DE AMOR E UMA CANÇÃO DESESPERADA IV

Te recordo como eras no último outono. / Eras a boina gris e o coração em calma. / Em teus olhos pelejavam as chamas do crepúsculo. / E as folhas caiam na água de tua alma.

Mais[+]

Adicione a sua lista de interesses



© 2010 José Terra

© 2017 - Luango
Sistemas e serviços para internet.