Crítica

As Flores de Elza

Em certa ocasião, perguntaram-me se eu escrevia poemas porque tinha dificuldades para me expressar verbalmente, o que certamente foi muito engraçado além de inusitado.


No entanto, não se pode negar que a poesia e a arte, de forma geral, são frutos do conflito entre o artista e o mundo que o cerca. Uma forma de se dizer o que não pode ser descrito em palavras ou ainda o que não pode ser mensurado.


Entre tantas outras, esta é uma das direções que nos aponta a poesia de Elza Maria , que escreve como quem coloca um vestido novo, ou aposta na sua própria transformação para a conquista de um mundo melhor.


“Por isso colho rosas nos jardins da vida.
e me escondo nas palavras para
ser feliz.”


Da poesia de Elza nascem estrelas, pássaros e flores, mas que trazem consigo o peso do contraste com as coisas do mundo. As flores de Elza são uma forma de resistência, de luta pela felicidade e pela sobrevivência da esperança.


“Não quero ser apenas uma poeta preciso ser feliz!
E nesse mundo diferente caminhar com passos certos”


Se a poesia, quanto mais introspectiva, mais universal se torna, a poesia de Elza (ou as flores de Elza, como queiram), ao nos expor seus fantasmas, seus medos, suas pétalas e seus sonhos, diz respeito a todos nós. A voz suave e simples do seu canto nos leva ao encontro do que existe de essencial em cada um, enquanto seres relacionados com o mundo e as outras pessoas. Ou seja, nos remete às nossas próprias flores.


“Sou o grito da noite que ecoa no ar
Sou a sombra da casa que a lua esculpi
Sou a criança que pede amor
A luz do candeeiro que se apaga
A toalha molhada de suor.
Sou o retrato na parede que sorri,
indefinidamente só”


Muito poder-se-ia dizer sobre versos como este:


“A esperança é doce e nos leva no grande barco
da existência
A esperança e a coragem seguem junta s”


Ou ainda:


“Não sei onde irei parar,
mas tenho uma certeza:
a de ser feliz”


Mas deixemos que a poesia fale por si. Deixemos que nos leve por esse caminho de luta, de sonhos e de esperança, como deve ser a poesia, e como quis a autora destes belos poemas.


Que possamos adentrar nos jardins e saborear mais esta contribuição de Elza Maria Pires à nossa literatura. .


A poesia e o mundo agradecemos.


Jose Terra


poeta

Adicione a sua lista de interesses


© 2010 José Terra

© 2017 - Luango
Sistemas e serviços para internet.